Pesquisar este blog

02/12/2008

Cecília Meireles (1901-1964)

A Poeta da Alma
"Aqui está a minha vida.
Esta areia tãoi clara com
desenhos de andar
dedicados ao vento.
Aqui esta minha voz,
esta concha vazia,sombra
de som curtindo seu próprio
lamento.
Aqui esta minha dor,
este coral quebrado,
sobrevivendo ao seu
patético momento.
Aqui esta minha herança
este mar solitário
que de um lado era amor e
de outro lado esqueçimento."
Cecília Meireles nasceu no Rio, em 7 de novembro de 1901, mesma cidade em que morreu, a 9 de novembro de 1964. A menina foi criada pela avó materna, Jacinta Garcia Benevides
Diplomou-se pela Escola Normal e participou ativamente do movimentode renovação do sistema educacional brasileiro.Fundou em 1934 a
primeira biblioteca infantil do país e, de 1936 a 1938, lecionou Literatura
Brasileira na Universidade do Distrito Federal.
Foi professora de Técnica e Crítica Literária na Universidade de Texas(1940)
e viajou por diversos países.
ecília Meireles é considerada pela crítica como a mais alta expressão da
poesia feminina brasileira em todos os tempos.
Renúncia
Sê o que renuncia
Altamente
Sem tristeza da tua renúncia!
Sem orgulho da tua renúncia!
Abre a tua alma nas tuas mãos
E abre as tuas mãos sobre o infinito.
E não deixes ficar de ti
Nesse último gesto
"Nasci no Rio de Janeiro, três meses depois da morte do meu pai, e perdi minha mãe antes dos três anos. Essas e outras mortes ocorridas na família acarretaram muitos contratempos materiais, mas ao mesmo tempo me deram, desde pequenina, uma tal intimidade com a morte que docemente aprendi essas relações entre o Efêmero e o Eterno. Em toda a vida, nunca me esforcei por ganhar nem me espantei por perder. A noção ou sentimento da transitoriedade de tudo é o fundamento da minha personalidade."Cecília Meireles


mais livros

Nenhum comentário:

Postar um comentário