Pesquisar este blog

23/05/2010

Jacqueline du Pré

Sua história é uma das mais lendárias histórias de todos os músicos do século XX, e também, um dos mais trágicos. A violoncelista Jacqueline du Pré, nascida em 26 de janeiro de 1945, em Oxford, Inglaterra, Derek e Iris du Pré. (Apesar do sobrenome, du Pré Derek não era francês, mas de ascendência britânica Channel Island, ele pode rastrear sua linhagem de volta para a Conquista Normanda). Ela floresceu jovens e alcançou a fama internacional em poucos anos, em meados da década de 1960, durante o qual mesmo tempo, ela se juntou a Daniel Barenboim em uma das mais célebres da história musical casamentos. Mas sua carreira foi abalada no início dos anos 1970 - nem mesmo uma década no seu vencimento - por esclerose múltipla.

Foi através de sua mãe Iris, um pianista e professor, que Jacqueline jovem foi introduzido pela primeira vez a música. Ela recebeu um violoncelo aos quatro anos, começou a ter aulas com Alison Dalrymple no Violoncelo London School alguns meses mais tarde, e por dez anos foi estudar com William Pleeth, eventualmente registrar como seu aluno no Guildhall de Londres, Escola de Música. Enquanto na Guildhall ela era a beneficiária dos prêmios internos praticamente toda a escola e reconhecimentos, entretanto, tendo aulas com Pablo Casals, na Suíça e Paul Tortelier, em Paris. Graduação da Guildhall, em 1960, ela começou a fazer sua primeira verdadeira aparência profissional, aparecendo com a Orquestra da BBC em 1961 e realizar o concerto de Elgar no Wigmore Hall em Londres, no mesmo ano, jogando em um violoncelo Stradivarius de 1672 Antonio apresentado a ela por um anônimo patrono. Outras aparições em concertos e, em particular, uma série de gravações rapidamente estabeleceu sua estréia como violoncelista jovens de sua geração, e, em muitas mentes, o artista estréia Britânico-nascido ter aparecido em muitas gerações.

CD1
Elgar: Cello Concerto in E minor Op. 85 (Conducted by Sir John Barbiroll)
1. I. Adagio - Moderato
2. II. Lento - Allegro molto
3. III. Adagio
4. IV. Allegro - Moderato - Allegro, ma non troppo

Dvorák: Cello Concerto in B minor B191 (Op. 104)
(Conducted by Daniel Barenboim)
5. I. Allegro
6. II. Adagio ma non troppo
7. III. Finale (Allegro moderato)


CD2
Haydn: Cello Concerto No. 1 in C Hob. VIIb:1 (Conducted by Daniel Barenboim)
1. I. Moderato - Cadenza
2. II. Adagio - Cadenza
3. III. Allegro molto

Haydn: Cello Concerto No. 2 in D Hob. VIIb:2
(Conducted by Sir John Barbiroll)
4. I. Allegro moderato - Cadenza
5. II. Adagio
6. III. Rondo (Allegro) - Cadenza

Boccherini: Cello Concerto in B flat
(Conducted by Daniel Barenboim)
7. I. Allegro moderato - Cadenza
8. II. Adagio non troppo
9. III. Rondo (Allegro) - Cadenza


CD3
1. Sicilienne

Schumann: Fantasiestücke Op. 73

2. I. Zart und mit Ausdruck
3. II. Lebhaft, leicht - Coda (Nach und nach ruhiger)
4. III. Rasch und mit Feuer - Coda (Schneller)
5.
Mendelssohn: Song without Words in D Op. 109
6.
Faure: Elégie in C minor Op. 24
7.
Bach: Adagio from Toccata, Adagio and Fugue in C BWV564
8.
Saint-Saens: The Swan
9. Jota (arr. Maurice Maréchal)
10. Bruch: Kol nidrei Op. 47
11. I. Allegro moderato. I. Allegro vivace
12. Cello Sonata No. 2 In F Op. 99 (1989 Digital Remaster): I. Allegro Vivace
13. IV. Allegretto poco mosso

Um comentário:

  1. tá tudo muito bem, mas a google translation não é mole não!

    ResponderExcluir